TOP Magazine

Tabuleiro

Com 273 metros de altura, a Cachoeira do Tabuleiro é a maior de Minas Gerais. Não é pouca coisa. Imagine-se no topo de um prédio de 90 andares...

POR Feco Hamburger, Edição: Claudia Berkhout 5 MIN

16 jun

5 Min

Tabuleiro

POR Feco Hamburger, Edição: Claudia Berkhout

	

O Parque Estadual Serra do Intendente, criado em 2007, possui cerca de 13 mil hectares numa região reconhecida pela Unesco como Reserva da Biosfera, em Minas Gerais. Conceição do Mato Dentro, localizada a aproximadamente 200 km de Belo Horizonte, é a simpática cidade base para a exploração do parque. A região oferece inúmeras atrações naturais para a prática da caminhada, da escalada, do base-jumping e do canionismo, sempre com a autorização da Secretaria do Meio Ambiente.

Zé Cornicha, Rabo de Cavalo, Fumaça e Roncador são algumas das incríveis cachoeiras da Serra do Intendente. A mais conhecida, entretanto, é a Cachoeira do Tabuleiro, a maior de Minas Gerais e terceira mais alta do Brasil. Não é pouca coisa. Com 273 metros de queda d´água, a Cachoeira do Tabuleiro também é chamada de Monumento. É fácil entender o porquê.

Espécie de Graal dos esportistas, a descida do Monumento é um desafio técnico e mental. Afinal, não é fácil encarar essa altura pendurado por uma corda, no meio da água. Imagine-se no topo de um prédio de 90 andares…

Gabriel Finelli e Elizabeth Viera de Oliveira, condutores de turismo de esportes verticais, conceberam e executaram com sucesso o projeto Gratidão Tabuleiro. Um minucioso projeto de descenso da cachoeira, incluindo mapeamento e contemplação, tendo em vista estabelecer rotas seguras para a prática do canionismo e fortalecer o turismo na região. Além, é claro, de realizarem um sonho antigo.

top magazine

Com supervisão da liga desportiva do Estado de Minas Gerais, da Federação Paulista de Canionismo e do Centro de Apoio ao Profissional do Rapel, o projeto já realizou duas descidas, a primeira em 2018 e a segunda em 2019.

O canionismo, ou canyoning, é uma atividade multidisciplinar: consiste na prática de descida de cursos d’água, sem embarcação, com transposição de obstáculos aquáticos, horizontais ou verticais. Finelli, que também atua como instrutor profissional, nos explica melhor a atividade: “O canionismo envolve técnicas como rapel, mergulho, flutuação, saltos e técnicas de alpinismo, além de ser fundamental ter conhecimento de geologia e primeiros socorros”.

Uma espécie de jogo de xadrez antecedeu o descenso da Cachoeira do Tabuleiro, que estava fechada por prevenção de eventuais acidentes. O casal idealizador providenciou as licenças ambientais e autorizações oficiais, buscou apoio na iniciativa privada, e, por fim, reuniu um time de especialistas para a realização da façanha. Depois de anos de esforço, finalmente, a equipe seguiu rumo à Cachoeira do Tabuleiro. A logística foi praticamente a mesma nas duas descidas.

No dia 1, cientes da dificuldade da empreitada, os esportistas caminharam vários quilômetros por trilha levando 1 tonelada de equipamento, 1200 metros de corda e mosquetões sem fim, até atingir o topo da cachoeira. Como o projeto tem por princípio impacto ambiental zero, as cordas fossem fixadas sem uso de pinos ou perfurações artificiais. A execução da complexa ancoragem tomou o dia todo e, ao entardecer, a turma retornou ao acampamento montado na casa de um morador da serra, o seu Chico Niquinho, que foi fundamental para a realização da aventura.

Uma noite fria na Serra do Intendente antecedeu o esperado dia 2, o dia da descida. Com a ancoragem pronta, restava descer. Instrutores e praticantes experientes enfrentaram o desafio e conseguiram, com sucesso, atingir o solo depois de percorrer toda a extensão do penhasco. O tempo médio de 35 minutos de descida pode apontar uma falsa impressão de facilidade. A descida é de nível técnico avançado e implica em controle mental considerável. O vento e a água minam a resistência e a hipotermia é sério risco presente.

top magazine

Finelli, com toda a bagagem acumulada, salienta que o projeto tem por objetivo fomentar o turismo e a prática vertical, mesmo entre aqueles não têm preparo para tal desafio. A Cachoeira do Tabuleiro é maravilhosa para a contemplação, e a região oferece inúmeros pontos de prática mais acessíveis. “O grau de dificuldade varia conforme o percurso, mas, obviamente, a atividade deve ser feita sempre com equipe treinada e equipamentos de segurança.”

Guardadas as devidas proporções, no ano em que comemoramos os 50 anos da chegada do homem à Lua, podemos celebrar a realização de outro sonho: a descida com segurança da Cachoeira do Tabuleiro.

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO