TOP Magazine

Quarentena produtiva

Autoconhecimento e comunidades alternativas inspiram trabalho de cineasta durante a pandemia

POR Renata Zanoni 2 MIN

16 jul

2 Min

Quarentena produtiva

POR Renata Zanoni

	

Com mais de 20 curtas e longas-metragens no portfólio, além de participações em novelas e séries da Rede Globo, o ator e cineasta Bernardo Barreto deixou sua casa em Nova York para passar o confinamento no Brasil. “Sentimos na pele como a quarentena mexe com nosso equilíbrio e responsabilidade social. Se fizermos essa viagem pra dentro, podemos atravessar essa fase com mais positividade, foco e energia”, diz ele, que tem aproveitado o período para finalizar seus próximos roteiros. Um deles é Free Spirit, previsto para 2021: “A história fala sobre amor, ódio, liberdade e preconceito. Reflete sobre a destruição ocasionada pela não aceitação”, conta. Adepto de práticas de práticas de autoconhecimento, como a bioenergética, meditação e o yoga, Bernardo tem transitado entre comunidades alternativas, como a Osho Rachana, no Sul do Brasil, e Humaniversity, no norte da Holanda. A temática aparece em seu filme O Buscador, que ganhou o prêmio Especial do Júri de Tallinn Black Nights Film Festival (Estônia) e tem previsão de estreia este ano. “Em 2019 eu já morava em NY quando o Brasil estava completamente dividido entre esquerda e direita. Eu estava muito voltado para a meditação e comecei a escrever o roteiro deste filme mostrando com muito amor o quanto somos corrompidos desde a infância, dentro de casa”, conta. Sobre essa temporada no Rio de Janeiro: “Fiquei nômade trabalhando remotamente, escrevi dois roteiros e ainda tem a pós-produção de Invisible [filme protagonizado por ele e dirigido por Heitor Dhalia], acontecendo à distância. Isso tudo tem me feito repensar meu estilo de vida”, finaliza.

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO