TOP Magazine

Bianca Andrade

A empresária e apresentadora revela como reinventou seu próprio business e fez o faturamento de suas marcas triplicar. Bia também falou de seus sonhos, das causas em que acredita, do novo programa ao vivo e, claro, da intimidade...

POR Melissa Lenz, Fotos: Iude Richele, Looks e Styling: Murilo Mahler, Beleza: Miguel Oliveira 8 MIN

22 jun

8 Min

Bianca Andrade

POR Melissa Lenz, Fotos: Iude Richele, Looks e Styling: Murilo Mahler, Beleza: Miguel Oliveira

	

Ela não veio ao mundo a passeio e não dá ponto sem nó. Amada por milhões, o fato é que não dá para passar incólume à vibrante presença de Bianca Andrade. Após sair de um confinamento para uma quarentena, a empresária e apresentadora revela como reinventou seu próprio business e fez o faturamento de suas marcas triplicar. Bia também falou de seus sonhos, das causas em que acredita, do novo programa ao vivo e, claro, da intimidade…

Como você se sente após sair de um confinamento – com toda sua intimidade exposta 24 horas – para o atual isolamento social?

Nas redes sociais, eu já tinha uma intimidade exposta. Então, acho que a principal diferença é que a proporção do BBB é muito maior, que reflete em várias diferenças que vivo fora da casa. Até hoje acontece muita coisa engraçada e acho que é porque tem uma galera que chega com mais intimidade. E claro que isso tem um lado bom e ruim – mas que super entendo. Já o isolamento social foi um susto quando saí do programa, porque voltei ao mundo exatamente no início da quarentena.  E, claro, desde então, estou tomando todos os cuidados e tento conversar com o meu público para se cuidar também.

O que mudou na sua vida e na sua carreira desde a saída da casa?

Na minha vida pessoal mudou a ótica que tinha sobre muitos assuntos. Sinto que estou em um processo de desconstrução muito importante para mim. Estamos vivendo um momento em que devemos pesquisar sobre as diversas mudanças e crueldades que estão acontecendo no mundo. Acredito que todos estão vulneráveis e penso muito em como posso evoluir perante isso tudo. A gente precisa urgentemente de um mundo mais justo e democrático, e, para isso, precisamos tentar furar a bolha em que vivemos. Estou olhando para mim mesma e aprendendo – sem medo de perguntar e de entender os novos desafios. Já na minha carreira, muito coisa também mudou. Além da minha marca ter crescido e se tornado conhecida pelo Brasil todo, depois do BBB, eu ganhei um público novo que ainda não me conhecia. A minha responsabilidade como comunicadora aumentou e acho que isso aconteceu para todos aqueles que se comunicam com um público grande.

Bianca Andrade

Como foi participar de um reality em que, ao contrário das suas redes sociais, não era possível escolher o que era compartilhado com o mundo?

Foi MUITO LOUCO! Uma sensação que só quem vive, sabe. Mas, eu sabia que seria assim. Imagina todos os sentimentos à flor da pele, multiplica por quatro e agora pensa no nosso medo em saber que tudo isso está sendo passado sem o menor filtro. Então, isso é viver o Big Brother. Tive muitas descobertas internas vivendo essa experiência. Sempre me expus na internet, faço isso há 10 anos e nunca foi um problema para mim. Mas, mostrar isso para além das pessoas que me seguem nas redes, que conhecem a minha história e o meu trabalho, foi desafiador. E eu amo me desafiar.

Teve um momento mais delicado para você? Qual?

Vários… As brigas, principalmente. Nunca briguei tanto em toda a minha vida (rindo pra não chorar), mas a parte boa é que nos desculpamos e estamos bem. Os problemas ficaram dentro da casa mesmo.

Foi difícil lidar com as críticas das pessoas?

Fácil nunca é, mas estou acostumada. Eu já tinha uma certa experiência por lidar com a internet há 10 anos, mas o alcance do programa é muito maior e assusta. Eu sou do tipo de lidar com verdade sempre, deixo o meu ego de lado e não gosto desse estereótipo de vida perfeita. Sou do tipo de mulher de falar abertamente sobre os erros, me desculpo, aprendo e meu público enxerga isso.

E o maior aprendizado?

Lidar com pessoas completamente diferentes de mim me ensinou a ter mais tolerância com o outro e comigo também. Por mais que a conivência gerasse muito conflito, eu, com certeza, me considero mais empática hoje.

De que forma tem se reinventado?

Essa sempre foi uma das minhas principais características, vivo me reinventando. Mas confesso que, depois do BBB e do isolamento, esse trabalho tem sido redobrado. Eu precisei me reinventar no meu business, fazendo um novo marketing muito mais orgânico e investi 100% nos meus parceiros de venda online. Outra coisa que está me motivando é o meu programa novo no YouTube, que será ao vivo. Quero levar diversão para o meu público, ainda mais nesses dias tão tristes que estamos vivendo. E outra coisa muito importante que tem me incentivado é saber que, nesse meu programa, vou ajudar os moradores da minha comunidade com doações de cestas básicas. Eu vim da Maré, no Rio, e estou aqui, conversando com uma revista de circulação nacional. Não tem como existir nesse mundo atual, de intensa reinvenção, sem lembrar de onde viemos.

Quais seus novos hábitos?

Muitos! Estou fazendo dessa quarentena um momento para aprender coisas novas. Estou tendo aulas de inglês, aulas com coaching para apresentar o meu programa, tenho estudado sobre causas importantes e também política, coisas que, antes, fazia pouco. E a política, né!? Pra minha geração, nunca foi tão importante falar e discutir sobre política. Outros hábitos também mudaram porque estou numa casa nova e morando com dois amigos, que são da minha equipe e estão envolvidos no trabalho do programa novo. Estou numa fase transformadora e que tem me deixado bem empolgada.

Qual é o papel do influenciador no mundo atual? Mudou alguma coisa?

Cada vez mais as pessoas migram para o online, logo, a nossa evolução é necessária. Sempre tive como propósito de carreira fazer a diferença na vida das pessoas. E preciso me capacitar muito para isso. O nosso país precisa de união, de atitude, de posicionamento e cabe a nós, que temos um número expressivo de pessoas nos acompanhando, o bom senso de não só levar entretenimento, mas abordar assuntos importantes juntos. Cada vez entendo mais isso e venho estudando para acompanhar essa evolução.

Então, conte mais sobre aquele seu bate-papo com o Érico Brás. O que te motivou?

Tudo começou com o post que fiz sobre o blackout tuesday, que foi feito verdadeiramente da minha parte. A semana desse movimento foi um baque para todos nós. Quero fazer parte dessa luta antirracista com muito mais do que um simples post. E tive a ajuda e a generosidade do Érico para me ensinar pontos importantes a respeito do meu privilégio de ser branca. Já o conhecia desde o programa ‘Se Joga’ e, quando ele me convidou para essa live, nem acreditei que tive essa oportunidade de aprender e de levar a atenção da minha audiência para um assunto tão necessário. Com certeza, a live foi a mais importante de que já participei.

Conte um pouco para a gente sobre o seu novo programa. Como vai ser?

Será um programa ao vivo, semanal e como quadros e convidados. O programa é totalmente baseado e inspirado na minha personalidade, que é cheia de contrastes. Eu acho isso muito interessante, brincar com a minha própria personalidade no meu programa. Serão duas apresentadoras, como se fossem os dois lados da Bianca: a mais moleca e livre e a mais séria, business woman. Elas duas interagem e esse vai ser o grande diferencial que resolvemos criar. Então, vai ser um programa de entretenimento. Com certeza, vai ter muito bom humor e uma mensagem muito legal de encorajar as mulheres a correrem atrás do que elas querem e, ao mesmo tempo, que elas se sintam livres, sempre. Podem esperar muita coisa legal porque estamos fazendo uma produção incrível.

Por que você resolveu voltar para o YouTube como apresentadora?

O meu canal estava parado há um ano e meio e meus fãs estavam me cobrando uma volta. Eu entrei no Big Brother já sabendo que eu iria voltar para o Youtube. Era uma vontade minha e lá foi onde eu nasci. Eu tinha muita vontade de voltar e, quando surgiu a oportunidade de voltar como apresentadora, como eu amo novos desafios, isso me deixou muito animada. Agora, me sinto pronta para isso. Ainda mais podendo ajudar as pessoas nesse momento que estamos vivendo.

Vamos falar da intimidade, Bianca. O que a encorajou assumir a bissexualidade recentemente?

Eu sou muito livre e não concordo com muitos tabus que foram impostos na nossa sociedade. Eu não vejo como assumir e enxergo como “por que não falar?”. É a minha realidade. Quantas pessoas estão passando pelo mesmo processo que passei e não conseguem lidar com isso naturalmente? Penso que quanto mais uso a minha plataforma para falar de qualquer assunto com naturalidade, mais natural os assuntos se tornam e mais autênticos e felizes nós ficamos. As pessoas estão tendo mais coragem de serem elas mesmas. Isso é lindo e me inspira. É muito bom viver livre. Inclusive, descobri que o termo para me definir é pansexualidade. Eu me atraio por seres humanos, independente do gênero.

Qual foi a reação dos fãs? Sofreu algum preconceito?

Eu falo com tanta naturalidade e uma lasquinha de humor, que as meninas acabam levando na mesma vibe. Brincamos muito com isso e quem é preconceituoso acaba sobrando.

Você já teve uma grande paixão do mesmo sexo? Ou já se imaginou namorando uma mulher no futuro?

Já tive algumas, mas não me vejo namorando alguém mais, independente do sexo. Não com a cabeça que tenho hoje. E se um dia eu mudar e decidir namorar, vai ser com quem mais me fizer feliz, seja quem for.

Quais as dores e delícias de se relacionar tanto com homens ou com mulheres?

Ah, eu só vejo delícias, rs. É maravilhoso se permitir. Eu já fiquei com trans e homens gays. Eu gosto de gente pra frente, que não se importa com regras e se permite ser feliz. Quando eu tô na balada, é entre uma gargalhada e outra que me encanto e, quando eu vou ver, estamos nos beijando. Na maioria das vezes é por diversão mesmo, me sinto tão livre, tão eu. É o máximo!

Você se imagina casada e com filhos no futuro? Você já mencionou produção independente…

Me imagino com filhos, sou louca para ser mãe, mas não me imagino casada. Eu não acredito que a instituição do casamento funcione para mim e me questiono muito se não posso amar livremente como amo meus amigos e minha família, sem posse e sem ciúmes. É uma viagem da minha cabeça, mas que para mim faz muito sentido. Sim, penso em produção independente e meu bebê vai ser criado por mim e todos os titios e titias loucas que moram comigo.

O marketing da sua marca foi incrivelmente elogiado. Tudo seguiu conforme planejado ou fluiu de forma orgânica? Como você administra?

O melhor elogio que posso receber é esse. É quando vejo que todo o esforço vale a pena. Eu gosto de fazer coisas diferentes, ousar e criar nossa própria história mesmo. Esse é o lema da minha equipe. Não é fácil tirar uma estratégia do papel e fazer funcionar. A gente quebra a cabeça, mas quando o feedback chega dá vontade de fazer o dobro.

Como se divide o seu business atualmente?

Hoje, é dividido em duas vertentes: eu como empresária e o outro como comunicadora e figura pública. Os dois fazem parte do meu business. A empresária cria novas marcas, ama empreender e sempre descobrir uma nova maneira de se reinventar no mercado. E o meu lado comunicadora é esse que já venho fazendo há anos e, agora, com a contratação da agência K2l, isso vai ser ainda mais explorado.

Como você se projeta no futuro?

Com uma carreira de apresentadora muito consolidada e tenho a Hebe como a minha grande inspiração. Volto onde tudo começou, no YouTube, e com uma enorme responsabilidade por ser um programa semanal e ao vivo. Depois, quero ter o meu programa na TV. Estou com uma equipe maior porque contratei a K2L para cuidar da minha carreira. O meu leque de oportunidades e marcas aumentou em função do crescimento do meu público. E amo ser diretora criativa das minhas marcas, como a Boca Rosa. Eu me vejo no futuro juntando essas duas coisas, que é ser uma empresária reconhecida Brasil afora e, ao mesmo tempo, uma comunicadora que faz a diferença no mercado.

Quais sonhos que falta realizar?

Tantos que não cabem nesta página, rs. Mas sou muito feliz pelos que já realizei e isso já um sonho! Hoje, eu tenho muita vontade de ser uma comunicadora que represente meu país e por isso a Hebe é uma referência. Além disso, eu quero ser uma grande empresária com cases de sucesso, e batalho muito para isso. Durante o meu percurso, eu sempre crio novos sonhos. Realizar isso tudo, junto com a minha equipe, é o meu maior sonho realizado.

O que gostaria que as pessoas realmente soubessem sobre você? Bianca por trás da máscara… (risos)

Eu acho que uma coisa que ninguém quase imagina é como sou eu numa reunião criativa, nos bastidores de uma campanha… Eu sou muito comprometida e objetiva. É completamente diferente da Bia brincalhona, alegre e amiga. Hoje, eu sei que uma galera já consegue imaginar esse lado em mim, mas acho que nunca cheguei a gravar e mostrar para as pessoas. Quem sabe um dia eu não faça um documentário e mostro esse lado mais workaholic? rs

Enquanto isso, Bia, que tal uma retrospectiva? Passando pelos primeiros tutoriais de make, orkut, YouTube, primeira linha de maquiagem, filme no cinema, mudança pra SP, BBB…?

Tá, vou criar uma historinha: Aos 16 anos, uma menina de comunidade muito ousada resolve dar dicas de maquiagem para as amigas através das fotos e legendas do Orkut. Em seguida, arrumou um jeito de criar um blog até chegar no YouTube [Boca Rosa], onde tudo realmente começou a acontecer. Seu jeito meio atrapalhado, risonho, mas muito criativo ao mesmo tempo, chamou a atenção de muita gente. Essa menina se chama Bianca e um ponto essencial em sua personalidade é prender a atenção das pessoas – seja para o lado bom ou ruim. Não posso deixar de falar que Bianca nunca passou despercebida – é polêmica e muitas vezes divide opiniões, mas é indiscutível a sua garra.

Cinco anos depois de seu primeiro vídeo, saiu da comunidade, teve seu próprio escritório, investiu na sua equipe e foi traçando metas. Ambiciosa, quis sair da zona de conforto e se aventurou nos palcos dos teatros do Brasil com uma peça [Boca Rosa – A Peça] contando a sua história com muito humor e emoção. Em seguida, foi reconhecida por muitas marcas importantes e estrelou vários comerciais de TV, entre eles, um cantando com a Ivete Sangalo [Vivo] – até hoje ela não acredita que isso realmente aconteceu.

O teatro lhe trouxe um presente, sua primeira personagem de cinema no filme da Thalita Rebouças [Ela disse, Ele disse]. Um sonho.

Ela se reinventou mais uma vez e fez parte do elenco de um programa de TV na Globo [É de Casa], dando dicas de maquiagem. Todo esse caminho a levou para uma das suas maiores paixões da vida: empreender.

Criou suas próprias marcas [Boca Rosa Beauty by Payot, Boca Rosa Hair, entre outras] e virou estrela das suas próprias propagandas. Em paralelo, virou musa do carnaval e desfilou toda de azul na Marquês de Sapucaí. Por falar em azul, essa é a cor do ano da sua marca, Bianca é a diretora criativa da própria empresa e o marketing está na sua veia.

Como se não bastasse, foi uma das nove escolhidas para participar de uma edição histórica do Big Brother [BBB 2020], ela jamais recusaria tamanha experiência. Se vestiu de coragem e foi.

Deixou preparada uma estratégia de crossmedia linkando suas redes sociais, com a da marca e o programa e, assim, hoje, a sua marca vende 3 vezes mais. Um sucesso, além de trazer um público novo e muitas oportunidades.

Hoje, Bianca tem o dobro de metas e, mesmo assim, sempre consegue tirar um tempo pra se divertir com os amigos – em um deles conheci a editora da revista Top Magazine, né, Mel?

Se for resumir essa menina/mulher em uma frase, diria que Bianca não veio ao mundo a passeio e não dá ponto sem nó. Acompanhem os próximos capítulos.

Conteúdo publicado na revista TOP Magazine (Edição 249) – Bianca Andrade – clique para assinar

 

 

Veja as Fotos

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO