TOP Magazine

Sob a bênção do açaí

Em Los Angeles, Georgios Frangulis teve um clique: apostar em açaí

POR Simone Blanes 5 MIN

18 out

5 Min

Sob a bênção do açaí

POR Simone Blanes

	

Imagine a cena: são 6 horas da manhã quando um rapaz bonito, alto e loiro chega em um centro comercial em Los Angeles, e passa o dia inteiro sentado em um banco, observando o movimento. Agora pense no cenário: uma rua onde circulam de surfistas a executivos do Merrill Lynch Bank of America, de iogues a trabalhadores de um hostel nos arredores. Situação que se repetiu diversas vezes, todos os dias, durante alguns meses. Parece coisa de filme, né? Só que não. Na verdade, era uma “pesquisa de campo” do jovem Georgios Frangulis para tentar descobrir no que ia empreender. “Tinha que entender o que o público fazia.” E, mesmo com pinta de galã, ele nada tem a ver com os deuses gregos do cinema. Reina, sim, entre os empreendedores brasileiros com sua Oakberry Açaí Bowls — rede de fast food saudável baseada em açaí natural, sem adição de corantes, agrotóxicos, gordura trans e colesterol —, que nasceu ali, após um clique em um daqueles dias. “Prestava atenção quando saíam para almoçar. E tinha dois lugares com um fluxo grande: um que servia salada e o outro, bowls de superfoods.” O próximo passo foi experimentar. “Fiquei 20 minutos na fila para comer um açaí ruim.” Georgios percebeu então que havia um gap no mercado de alimentação saudável e que se modulasse esse produto para algo natural e rápido seria um ótimo negócio. “Era para iniciar nos Estados Unidos, mas, por entraves, eu e meu sócio Renato Haidar começamos em São Paulo. Tentei em vários shoppings, mas negaram. Até que abrimos a primeira unidade em 2016, no Shopping Cidade São Paulo, na Avenida Paulista.” Hoje, a Oakberry tem 142 franquias no Brasil e mais 26 para os próximos meses. “Este ano, quero chegar a 200.” Sem contar as unidades nos EUA, em Dubai, Lisboa, Barcelona e China, e três lojas próprias: em SP, na Rua Oscar Freire e no Shopping Iguatemi, e em Miami. “Acertamos a mão, mas o problema foi convencer o público de que é um superalimento, e não uma sobremesa”, diz Frangulis sobre o seu açaí que conta com extrativismo sustentável no Amazonas, produção no Pará e processamento em Poços de Caldas (MG). “Além de ser natural, sem xarope e corantes, a marca é independente do produto. As pessoas dizem: ‘Vou tomar um Oak’.” Não à toa, é a rede que mais cresceu no país nos últimos anos. Formado em direito, Georgios sempre soube que não seria advogado. Em Miami, tentou investir no mercado imobiliário, mas teve problemas com a alta do dólar pós-eleições 2014. O ramo alimentício, porém, veio de uma intuição acertada, já que, além do nome de origem grega, herdou a veia empresarial do avô paterno, que nos anos 60 produzia comida em larga escala. “Ele acreditava na força do trabalho”, diz, orgulhoso da família, que traz quase toda tatuada em seus braços, assim como símbolos católicos que demonstram Georgios como um homem de fé. “Sou religioso. Vou à missa todos os dias às 7 da manhã. Sou amigo do padre, quase um coroinha.” Algo presente inclusive na Oakberry, nomenclatura inventada pelo empresário, mas que o sócio — também católico — viu como um sinal. “Quando discutimos o nome, Renato abriu a Bíblia em inglês e caiu em Isaías 6;13 que descrevia ‘the oak’ como algo divino, que, se cortar pela raiz, cresce mais forte. Todas as nossas lojas têm essa passagem em algum cantinho.” Além de cultivar sua religiosidade, Georgios é superligado à esposa, a pedagoga Isabella Armentano, com quem é casado há três anos, e aos carros, sua grande paixão. “É um hobbie. Agora estou correndo a Porsche Cup com um carro todo adesivado de Oakberry. Trabalho duro para me divertir com isso.”

Fotos: Angelo Pastorello

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO