TOP Magazine

12 dez

Profissão Médium que Cura

Entrevistamos João de Deus, o mais célebre líder espiritual da atualidade, que com suas cirurgias espirituais tem o poder de curar doenças como o câncer, é procurado por pessoas do mundo inteiro e acaba de ganhar um filme em sua homenagem

POR Simone Blanes 3 MIN

12 dez

3 Min

Profissão Médium que Cura

POR Simone Blanes

	

“Para quem acredita, nenhuma palavra é necessária; para quem não acredita, nenhuma palavra é possível”. A frase de Santo Inácio de Loyola, estampada em um busto no vasto jardim da Casa Dom Inácio, na cidade de Abadiânia, em Goiás, resume bem a atmosfera do maior hospital espiritual da América Latina. É lá que o médium João de Deus – ou John of God (para os estrangeiros) – recebe cerca de mil visitantes por dia, de todos os lugares do mundo, que atravessam mares e oceanos em busca da cura para suas doenças, males e sofrimentos. Mas ele faz questão de afirmar: “Não sou eu quem curo. É Deus. Sou um mero instrumento nas mãos divinas”. Também ressalta que a cura está dentro da pessoa. “Só ela é responsável”, e ainda enfatiza a seus pacientes que não devem deixar a medicina tradicional. “Quando o nosso corpo físico está doente, a lesão está presente também no períspirito, que é o elo de ligação entre a matéria e o espírito. E para que tenhamos a cura, o ideal é que é que a pessoa nunca abandone os médicos encarnados e continue também com o tratamento espiritual”.

Ele mesmo teve um câncer no estômago, e passou por uma cirurgia de dez horas em que extraiu um tumor maligno, em agosto de 2015, feita pelo cirurgião Raul Cutait, no Hospital Sírio- Libanês, em São Paulo. Também colocou seis stents no coração com o médico cardiologista Roberto Kalil no mesmo local. “Eu estou totalmente curado graças a minha fé em Deus, aos médicos da terra e aos meus mentores espirituais”, afirma. Mas se não depende exatamente dele, por que tanta gente o procura? O que o médium tem de tão especial? A resposta é bem simples: João de Deus é dono de uma força concreta em seu poder de oração que faz as pessoas realmente acreditarem que podem ser curadas. Mais: é capaz de mudar a percepção delas sobre seus caminhos de vida tamanha é a influência que exerce, a ponto inclusive, de transformar vidas. Caso, por exemplo, do diretor de cinema Candé Salles, que resolveu fazer um documentário sobre o líder espiritual – “João de Deus – O Silêncio é uma Prece” – com roteiro da jornalista Edna Gomes. “Eu gostei muito! Ele conseguiu me retratar como sou. Caminho com simplicidade na vida, e nunca abandono meu povo. Eu senti uma ebulição de emoções porque eu sofri muito para não abrir mão de minha missão divina”, diz João, aclamado durante o Festival de Cinema do Rio de Janeiro, onde o filme foi exibido recentemente. “Eu fiquei muito feliz! O silêncio espiritual é muito importante para mim. Mas gosto do barulho da vida pulsando”, sorri. Durante 5 anos, ele foi filmado em seu dia-a-dia, trabalho e intimidade. Só que dessa experiência, não saiu só o longa. O próprio cineasta acabou se tornando voluntário da casa. “Foi a melhor mudança da minha vida. Aprendi a olhar para o lado e comecei a doar amor e sentir paz. Eu entrei para fazer um filme e sai com uma lição de vida”, conta Candé, que como tantos, auxilia João de Deus em suas consultas realizadas às quartas, quintas e sextas, dias em que ele atende milhares de pessoas, até a última que estiver por lá. “O mais importante é praticar a caridade e o amor. A solidariedade é um exercício espiritual. Quem pratica o bem, fortalece a sua alma”, fala João, que recebe mais de trinta entidades para a realização de passes e suas comentadas cirurgias espirituais – que podem ser com ou sem corte, e duram no máximo três minutos. “Sou um homem sem estudos. Graças a Deus eu tenho a união de médiuns e meus mentores médicos para formar o elo que permite a realização das cirurgias espirituais e as possibilidades de cura, que acontecem normalmente através de três fatores: a permissão de Deus, o mérito em receber a dádiva e a crença e fé da pessoa que está sendo abençoada com essa possibilidade”, explica o médium, conhecido por tratar doenças que vão de dores crônicas à paralisias, de câncer à depressão. “Tenho imagens de uma viagem para a Suíça, em que João tira muletas e levanta pessoas de cadeiras de rodas. Está no filme e sem cortes”, relata Candé.


Filho de um alfaiate e uma dona de casa, João Teixeira de Faria nasceu em Cachoeiro da Fumaça, em Goiás. Começou sua vida profissional seguindo os passos do pai e aventurou-se em garimpos, – até hoje possui um em Nova Era, Minas Gerais, em que é sócio de um empresário local. “As pedras tem muito significado na minha vida. Eu gosto de ver uma pedra bruta lapidada virar preciosa. É como o amor de Jesus nos faz, a tudo transforma e cria em nós um novo ser”, filosofa. Só que bem antes, ele já sabia que era predestinado pela sua paranormalidade. “Com oito anos de idade, percebi que era diferente de outras crianças. O meu caminho foi traçado por Deus e ele me predestinou com essa missão para amparar os irmãos que precisam”, conta. Sofreu bullying pelas pessoas que duvidavam de seus dons, mas teve certeza de que esta seria sua trajetória de vida ao ter uma visão com Santa Rita de Cássia em uma cachoeira. Passou então a frequentar a casa de Chico Xavier – “Ele era meu mestre de luz” – que o convenceu a ficar em Abadiânia. “É o abençoado recinto de sua iluminada missão e de sua paz”, escreveu Xavier em um bilhete, em 1993. Desde então, João é tido como um líder espiritual que já cuidou e fez melhorar milhões de pessoas brasileiras e estrangeiras. Ganhou fama internacional quando a atriz hollywoodiana Shirley MacLaine atestou ao mundo que ele a curou de um tumor abdominal em 1991.

A apresentadora americana Ophah Winfrey – que teria chorado como criança na presença do médium – também o colocou em seu programa sob o tema “Você Acredita em Milagres?”. Sem contar as lista extensa de personalidades que já estiveram na Casa Dom Inácio à procura dos dons paranormais do médium: as atrizes Claudia Raia, Deborah Secco e Juliana Paes, o apresentador Marcos Mion, o ator Fábio Assunção, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Roussef, a top model Naomi Campbell, o publicitário Nizan Guanaes, o presidente da FIESP Paulo Skaf – com quem João já declarou ser amigo e gostar de comer churrasco – e a apresentadora Xuxa que testemunhou: “ele é um iluminado!”. Mesmo assim, ele prefere a discrição. “Não ligo para quem é famoso. Todos nós somos iguais diante de Deus”, enfatiza. Nos raros momentos em que não está incorporado, João gosta de passar seu tempo em suas fazendas onde cria gado, porcos e galinhas, além de plantar soja, feijão e arroz. Em especial, a de Anápolis, há quarenta quilômetros de Abadiânia, ao lado da esposa, a advogada Ana Keyla Teixeira Lourenço e da filhinha Mariana, de dois anos. “Ela alegra minha alma”, sorri. E seguir com sua missão de cura, não só realizando as cirurgias espirituais, mas dando esperanças reais de cura as milhares de pessoas que precisam se restabelecer de seus males físicos, e não pensam duas vezes em procurar sua sensibilidade e acalento. Voltando ao começo, o que ele tem de tão especial? O próprio João de Deus responde, sem pestanejar: “Tenho uma fé inabalável”.

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO