TOP Magazine

Artsy

Por que será que o irreverente Ai Weiwei incomoda muita gente? Vem saber!

POR Cássio Starling 2 MIN

02 ago

2 Min

Artsy

POR Cássio Starling

	

Artista e ativista são palavras andam juntas quando se fala de Ai Weiwei. E produzem tanto eco quanto o nome desse chinês, hoje considerado o talento mais poderoso do mundo no ranking de tops da publicação inglesa “Art Review”. Ai produz arquitetura, fotografia, livros, escultura, vídeos, pintura, documentários, instalações, performances, bloga e tuíta. Seu potencial criativo para criar confusão e virar notícia vai além. “A internet é meu país”, gosta de dizer. O governo da China, porém, é que não aprecia nada a repercussão global desse que se tornou seu mais célebre artista.

A originalidade da obra do chinês aparece na reinterpretação rebelde que faz de objetos e materiais. Em Very Yao, por exemplo, ele montou 150 bicicletas que criam uma geometria vertiginosa em homenagem a Jia Yang, um jovem de Pequim executado em 2008 num caso repleto de obscuridades jurídicas.

Rumo a São Paulo, onde vai expor em 2017, na Oca, Ai Weiwei deve tratar da atualidade no México, Argentina e Brasil. Afinal, como ele proclama num famoso post, “never retreat, retweet”.

Veja as Fotos

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO