TOP Magazine

26 jul

Os dois filhos de Joseph

Drama familiar mostra o que pode agregar três homens solitários

POR Walter de Sousa 3 MIN

26 jul

3 Min

Os dois filhos de Joseph

POR Walter de Sousa

	

Abandonado pela mulher, Joseph criou sozinho seus dois filhos. O mais novo, Ivan (Mathieu Capella), de 13 anos, vai mal nos estudos, pois alimenta uma paixão obsessiva pela filha do zelador da escola, que o despreza. Joachim (Vincent Lacoste), mais velho, pena há dois anos para escrever sua tese em psiquiatria e parece não ter ânimo para concluí-la, pois sofre com um recente rompimento de namoro. Para complicar, o próprio Joseph (Benoit Poelvoorde), com a morte do irmão, decide abandonar a profissão de psiquiatra para virar escritor. O problema é que ele não tem talento algum para as letras… Esse trio desencontrado tenta alinhar suas aflições comedindo seus sentimentos e ouvindo conversas alheias pelas paredes numa relação que parece que não encontrará alento algum. 

Nessa busca tortuosa, os personagens desfilam suas contradições. O menino Ivan tem fixação pelas imagens católicas, mas bebe escondido do pai mas não se envergonha em dividir uma cerveja com o irmão mais velho. Este, embora banque o conquistador, sofre com a perda da ex-namorada a ponto de chorar à simples menção do seu nome. E Joseph, o pai em crise existencial, tenta conseguir o aval de seus amigos psiquiatras para publicar seu livro mal escrito. 

O primeiro filme do ator francês Félix Moati tenciona esses três personagens que, depressivos e introspectivos, pouco a pouco revelam os mais profundos laços sentimentais, mais claramente no último terço do filme. Esses laços, surgem, enfim, como uma pequena redenção aos três homens. 

 

Os dois filhos de Joseph

Direção: Félix Moati

Elenco: Vincent Lacoste, Benoît Poelvoorde, Mathieu Capella e Anaïs Demoustier  

Estreia: 1 de agosto

 

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO