TOP Magazine

12 dez

O Rei do Streaming

Ao lado de Alok e Bruno Martini, ele entrou para a exclusiva lista dos 30 brasileiros mais ouvidos no mundo. Conheça um pouco da meteórica carreira de Zeeba

POR Marília Aguena 3 MIN

12 dez

3 Min

O Rei do Streaming

POR Marília Aguena

	

Com certeza você já ouviu a voz dele. Seu hit de estreia, Hear Me Now, ao lado do DJ Alok e do produtor Bruno Martini, ultrapassa 250 milhões de execuções no Spotify, já tem quase 190 milhões de visualizações no YouTube e o colocou como a voz brasileira mais ouvida do mundo, seguido por Roberto Carlos e Astrud Gilberto, segundo a revista Billboard. A canção ainda rendeu um disco duplo de platina na Itália e um disco de ouro na França. Never Let Me Go, outro sucesso do cantor em parceria com Alok, já recebeu disco de platina no Brasil. Com sua ex-banda, Bonavox (boa voz, em latim), ganhou um Grammy Amplifier, prêmio americano para artistas independentes e logo que saiu, emplacou seu primeiro lançamento, Photographs, entre as mais pedidas da rádio Jovem Pan. Grandes conquistas e números altos para um jovem de 24 anos com a carreira apenas começando. Zeeba é filho de brasileiros, nasceu em San Diego, na Califórnia, mas veio para o Brasil com apenas dois anos. A música chegou cedo em sua vida. Começou a compor com 14 anos e aos 18 voltou para os Estados Unidos para estudar no renomado Musicians Institute, em Los Angeles, onde aprendeu Produção Musical e Music Business. “Aprendi de tudo. Desde a parte do marketing até a fazer capa de CD. Foi muito bom e me deixou a frente para trabalhar com empresários. Fiz até aula de Direito. Hoje participo mais da parte criativa, mas tenho quem faça a burocracia”. Filho de médico, conta que nunca sofreu nenhum tipo de pressão do pai para seguir a mesma carreira. “Ele sempre me apoiou e disse para fazer o que me faz feliz. Mas quase cursei administração por influência de amigos da escola”, explica. Zeeba só compõe e canta em inglês – diz que sua voz “não sai legal em português”, coisa que todo mundo duvida -, mas revela que pretende fazer trabalhos com artistas brasileiros, em breve.

Uma de suas parceiras será a cantora Mallu Magalhães – os dois estudaram juntos no colégio Santa Cruz, em São Paulo – com quem entra em estúdio logo mais. Além dela, ele deseja trabalhar com Tiago Iorc e Ana Vitoria. Quem acompanha @zeeba nas redes sociais vê o quão agitada é sua vida. Mal voltou de uma turnê internacional com Alok, e já tem seu novo lançamento Found U, em parceria com o produtor e DJ francês Dimmi, entre as mais pedidas nas rádios e mais baixadas no Spotfy. Sem contar que ele está cuidando de seu novo EP e ainda tem trabalho no forno para ser divulgado em breve: uma colab com o produtor americano Timbaland, que está produzindo o novo álbum do Colplay, banda da qual Zeeba é fã e sonha em fazer uma parceria. Mesmo depois de grandes shows no Brasil, a estreia em um palco de um grande festival em São Paulo aconteceu só em outubro deste ano, no Villa Mix SP. “Foi muito legal para mim, a cidade onde cresci. Aqui o público é demais, acho que combina comigo nessa categoria pop. A música quebrou barreira, hoje a gente toca em festival de sertanejo, mas acho que até os meus outros trabalhos são bem recebidos. A galera canta tudo”. E quando sobre um tempinho, Zeeba? “Não tenho muitos hobbies. Fico bastante em estúdio, adoro jogar Fifa. Descobri também que gosto de kart. Fui andar com o Fernando Alonso quando esteve no Brasil para a Fórmula 1”. Mas planos ele tem de sobra. “Quero ter uma carreira forte lá fora, fazer colaborações com pessoas legais. Quero ter cada vez mais hits, fazer mais músicas que as pessoas consigam associar e viajar pelo mundo”.

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO