TOP Magazine

O menino que fazia rir

Como nasce um humorista? Filme revela influência e riso da família na personalidade da criança

POR Walter de Sousa com exclusividade para TOP Magazine 3 MIN

24 set

3 Min

O menino que fazia rir

POR Walter de Sousa com exclusividade para TOP Magazine

	

Hape Kerkeling é o comediante de TV mais popular da Alemanha e totalmente desconhecido no Brasil. No entanto, o filme sobre sua infância, O menino que fazia rir, dirigido por Caroline Link – Oscar de filme estrangeiro em 2003 por Lugar nenhum na África – é uma rica narrativa sobre como as relações familiares nos torna quem somos. Há uma descoberta essencial do menino Hans-Peter no início do filme. Quando ganha um cavalo da avó e tenta montá-lo, se atrapalha por conta de suas próprias formas arredondadas. No meio da operação, chega a uma importante conclusão: “ou faço as pessoas rirem por ser desajeitado ou assumo isso de maneira consciente”. Ao optar pela segunda alternativa, toma para si uma visão de mundo distinta daquela da maioria das pessoas. Se ela não o exime das dificuldades e dos fatos inesperados da vida, ao menos o impulsiona a enfrentá-los no comando de suas escolhas. O instante dessa descoberta faz com que protagonize uma das mais emblemáticas imagens do humor, que é a do cavaleiro montado ao contrário no cavalo, clássica entre os palhaços desde o século 18. Imagem semelhante está presente, por exemplo, no clássico filme O circo (1928), de Charlie Chaplin, e resume a visão de mundo daquele que escolhe seguir na contramão do mundo.
Parte das relações que Hans-Peter mantém com a família faz parecer que vive uma infância perfeita. No entanto, importantes perdas o impulsionam a fazer escolhas para sua vida, mesmo que o humor não proporcione curas imediatas. Interessante que o menino, por diversas vezes, para fazer graça entre familiares, escolhe se travestir, sem que seja reprimido com argumentos morais de quem quer que seja. Escolhe, por exemplo, uma fantasia de princesa para o carnaval, e desempenha com facilidade imitações de velhas vizinhas faladeiras, gerando riso generalizado. Grande parte do charme do filme, enfim, está no menino Julius Weckauf, que desempenha Hans-Peter com carisma instintivo.

Vem conferir o trailer:

Serviço: 

O menino que fazia rir
Direção: Caroline Link
Elenco: Julius Weckauf, Diana Amft, Luise Heyer, Sönke Möhring, Joachim Król, Martina Eitner-Acheampong, Maren Kroymann, Elena Uhlig e Ursula Werner
Estreia: 26/9

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO