TOP Magazine

Menina-mulher

Cantora, atriz e escritora, Manu Gavassi é muitas mulheres em uma só. Aqui, ela abre seu coração e fala sobre cada uma de suas facetas

POR vivian monicci 3 MIN

07 fev

3 Min

Menina-mulher

POR vivian monicci

	

Doçura em pessoa, mulher forte com jeito de menina e artista multifacetada. Os adjetivos para descrever Manu Gavassi são muitos e, ainda assim, insuficientes para fazer jus a toda sua trajetória pessoal e profissional em apenas 25 anos de vida. Querida pelo público jovem – seus quase quatro milhões de seguidores no Instagram e Twitter comprovam essa preferência –, ingressou no meio artístico muito nova. Não poderia ter sido diferente, já que seus pais sempre foram ligados em arte e, inclusive, se conheceram no teatro. “Eu fazia aula de tudo. Ainda criança, de musicalização, de teatro e naturalmente fui seguindo por esse caminho já na adolescência. Meu pai me ensinou a tocar violão e guitarra, então com uns 12 anos, brincava de escrever minhas músicas com os acordes que sabia”.

Com quase 16, entrou para a “Galera Capricho” – grupo de meninas “melhores amigas” da revista – e aí começou a trabalhar de verdade, contribuindo com conteúdo para a publicação. Mal sabia ela que sua fada madrinha estava nesse mesmo lugar e atendia pelo nome de Karol Pinheiro, jornalista, que viu um quê de estrela na ficha de inscrição de Manu, onde destacava o seu gosto pela música. Além de selecioná-la para fazer parte da “Galera”, pediu um vídeo da garota cantando. Daí para a fama, foi um pulo: “Eu nunca tinha gravado e era mega tímida. Mandei o vídeo, ela mostrou para a redação e a partir daí a Capricho meio que me apadrinhou. Eu fui capa da revista com 16 anos, lancei um CD e eles me davam a maior força”. Em 2015, já tinha dois álbuns lançados, Manu Gavassi e Clichê Adolescente; o EP independente Vício, produzido por Júnior Lima e mais duas novelas da Globo, Em Família e Malhação. Recentemente, retomou o contrato com a Universal e lançou o CD Manu, que representa uma fase mais madura de sua carreira.

Mas, para ela, o que é ter sucesso na vida? “Mudou muito. No início, achamos que é ter acessos no clipe, grandes números. Fui crescendo e percebi que o que me faz feliz é mostrar a minha verdade e poder ser quem eu sou. Sucesso é relativo, é você poder viver fazendo o que ama, é ter pessoas que acreditam no seu trabalho e poder se divertir com sua profissão. Essa é a conquista mais absoluta que existe”.

Em junho desse ano, Manu tocou no palco do Rock in Rio Lisboa, junto com Agir, cantor e produtor português. Também esteve no ar no SBT e Disney Channel com a série infanto-juvenil Z4, mas se pensa que sua carreira está apenas na música e na atuação, você se engana. Ela também exercita o lado escritora e lançou, em 2017, seu primeiro livro, “Olá, Caderno”, uma ficção adolescente que reúne histórias vividas por ela. “Acho que foi um dos maiores desafios da minha vida, nunca me imaginei escrevendo um livro. Incentivo quem tem vontade de escrever porque é um processo de autoconhecimento, disciplina e, até por isso, estou pensando em fazer o segundo”. Por falar em planos futuros, a cantora já está trabalhando em suas novas canções e pretende investir no universo fashion junto com a irmã. “Eu gosto da arte como um todo, o processo de criação me atrai e levo isso para a moda. No ano passado, lancei uma coleção inspirada da minha turnê e, como muita gente ficou sem poder comprar, resolvi criar uma loja online para vender, o que acabou evoluindo mais do que eu imaginava”.

E para quem sonha em revelar ao mundo algum lado artístico que tenha escondido, ela tem um conselho ótimo: “Antes feito, do que perfeito! É melhor realizar do que ficar achando que em algum momento aquilo vai estar perfeito, porque isso nunca vai acontecer. Eu acho que todo mundo deve se expressar e lutar para que o medo não te prenda e te puxe para trás”. Falou e disse, Manu!

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO