TOP Magazine

20 ago

Luxo Sustentável

Faz tempo que sustentabilidade deixou de ser um luxo e tornou-se uma obrigação, um ato de cidadania que deve ser exercido por todos diariamente. Aqui, mostramos o caminho das pedras para uma vida mais sustentável. Vamos juntos?

POR Vivian Monicci 5 MIN

20 ago

5 Min

Luxo Sustentável

POR Vivian Monicci

	

Sustentabilidade é a palavra de ordem do século 21. Cada vez mais, empresas agem de forma harmoniosa com o meio ambiente, para que essa relação influencie de forma positiva o consumidor final. Então, para começar, é bom saber que ser sustentável não é mais um luxo, e sim um ato de cidadania exercido por todos no dia a dia. Em vez de absorvermos cada vez mais produtos com uma vida útil menor, devemos pensar em como podemos consumir menos e melhor. 

De acordo com o Instituto Akatu, ONG sem fins lucrativos, “consumo consciente significa ter a visão de que o ato de consumir um produto ou serviço está num contexto maior de ciclo de produção, trazendo consequências positivas e negativas ao meio ambiente, que vão além dos impactos imediatos”. Sugere, então, que façamos seis perguntas básicas: por que comprar? O que comprar? Como comprar? De quem comprar? Como usar? Como descartar?

“Substituir os descartáveis da sua vida por produtos reutilizáveis, por exemplo, é um dos passos mais importantes. Evitar o uso de um copo, talher ou canudo que vai parar no lixo em cinco minutos já faz diferença. Repensar a maneira como consumimos é relevante para o futuro preocupante que nos espera. Em 30 anos, teremos mais plástico do que peixes nos oceanos e, por isso, precisamos agir agora”, diz Marina Marcucci, coordenadora de conteúdo do Menos 1 Lixo, plataforma de educação ambiental da ativista Fernanda Cortez, que ainda é defensora da ONU Meio Ambiente pela campanha Mares Limpos e apresentadora do programa Menos é Demais, do Discovery Home & Health. 

Conceitos necessários que se estendem a empresas como a L’Oréal, assumidamente compromissada com a sustentabilidade e que trabalha em parceria com o Akatu. Resultado disso, por exemplo, foi a redução de 71% de emissão de CO2 nas fábricas e centros de distribuição no Brasil. Não à toa, foi reconhecida pelo Guia Exame Sustentabilidade 2017 e, até 2020, pretende utilizar carbono neutro e ter 100% de eletricidade verde em suas unidades nacionais. “Transformamos nossa maneira de trabalhar e de criar produtos e, hoje, mais de 68% deles têm uma pegada social e ambiental com suas fórmulas e embalagens que respeitam a biodiversidade”, afirma Maya Colombani, diretora de Sustentabilidade da L’Oréal Brasil. “A empresa também usa o poder das suas marcas para promover o consumo consciente, como é o caso da Kérastase”, completa, referindo-se à Aura Botânica, linha profissional de luxo de cuidados naturais para os cabelos, com fórmulas que contêm, em média, 98% de ingredientes naturais, livres de silicones, sulfatos e parabenos, além de embalagens desenvolvidas com pelo menos 25% de Reciclados Pós-Consumo (RPC). “O luxo sustentável é o novo luxo, e o luxo do passado – desconectado da realidade, da sociedade e da natureza – não tem mais futuro.”

A Simple Organic, marca de cosméticos orgânicos certificados pela Ecocert e pela organização Peta (Pessoas para o Tratamento Ético de Animais), que conferiu à marca os selos “Peta-Approved Vegan” e “Cruelty Free”, também é um exemplo. Além de seus produtos veganos e naturais, encontrados no spa do hotel Renaissance, lançou, em parceria com a Mentah!, um canudo ecológico reutilizável feito de vidro que acompanha uma escovinha para higienização e capinha protetora. “Os canudos e copos plásticos vão para o lixo em minutos de uso e são nocivos ao meio ambiente. Recusar os descartáveis é um movimento fundamental para gerar a reflexão”, comenta Marcucci.  

Atitudes que já andam fazendo efeito, em especial, entre jovens cada vez mais engajados e que buscam alternativas em seu cotidiano como trocar o carro pela bicicleta. O bom é que as empresas também acabam entrando na onda, como a Lev, que faz sucesso com suas bikes movidas a energia elétrica, que não emitem poluentes e apresentam uma economia de 95% em relação ao automóvel. Até a Nespresso, que já causou polêmica por conta de suas cápsulas de café, está investindo em reciclagem. Em parceria com a Victorinox, lançou o Pioneer Nespresso, canivete produzido a partir de 24 cápsulas recicladas. 

Falando em cápsulas, olha só a ideia que Fernanda Cortez trouxe ao país: “Armário Cápsula”, que consiste em montar um closet para durar um ano inteiro, com pouco mais de 60 peças, já que muita roupa também faz parte da cultura do desperdício. “A moda é uma das cinco indústrias mais poluentes do mundo, e é responsável por 20% da poluição da água. Muito do que vestimos é plástico, que vai direto para a água quando lavamos roupas. Também temos que adotar o consumo consciente na hora de decidir o que vestir”, alerta Marina.  

Diante de tantas novidades e transformações em relação à maneira como podemos promover a preservação ambiental, precisamos saber que o maior poder de mudança é nosso, começando pelas pequenas escolhas diárias. “Escolhendo uma marca que valoriza a sustentabilidade, promovemos a mudança de comportamento nas demais empresas que deixam a desejar nesse sentido. É importante parar com o desperdício de água em todo e qualquer tipo de situação. Isso é uma questão de cidadania”, pontua Maya. “E devemos acabar com o consumismo para diminuir o desperdício e o acúmulo de lixo, problema crítico no mundo inteiro. Não importa o tipo de produto – comida, roupa, itens para casa –, a regra é comprar apenas o que se precisa, além de não usar sacolas plásticas, preferindo as ecobags. O bom senso na hora de consumir pode fazer toda a diferença”, finaliza. Que tal começar a agir de forma sustentável hoje mesmo?

Fotos: Divulgação / iStock

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO