TOP Magazine

Luciana Gimenez

Supermulher, Supermãe, Superstar, SuperPop, SuperTOP — Luciana Gimenez Rocks! Sem papas na língua ou medo de julgamentos, ela rasga o verbo... Ao mesmo tempo que para o trânsito!

POR Simone Blanes 2 MIN

04 abr

2 Min

Luciana Gimenez

POR Simone Blanes

	

Em meio a uma reunião de pauta da TOP Magazine — justamente no dia em que acertávamos detalhes deste ensaio —, nosso publisher Claudio Mello acertadamente chamou a atenção para o que faz Luciana Gimenez esnobar as meras mortais, além de sua escultural silhueta. “Ela tem um jeito de andar todo especial. Se movimenta de uma forma que é lindo de ver”, disse ele que, assim como nós, presenciamos ao vivo e a cores todo esse fascínio que a musa provoca, durante a visita dela ao nosso estúdio Mundo TOP, no último Salão do Automóvel, em São Paulo. Deslumbrante, esfuziante e com todos os adjetivos óbvios que se pode dar a Luciana, ela andou pelos corredores do evento como uma deusa, que só de ver de perto fazia com que as pessoas simplesmente abrissem passagem, tamanho o impacto que, em seus 1,82 m de altura, causa. “Engraçado, já me falaram isso. Dizem que é o conjunto, o jeito que eu me mexo”, comenta a apresentadora do SuperPop e Luciana By Night, ambos da RedeTV!, com consciência do poder que emana ao adentrar em qualquer lugar. “Quando era modelo, já era assim. Eu era muito sexy, então despertava o ódio das meninas e a energia sexual nos meninos. Por isso passei anos me escondendo atrás de óculos.” Algo, porém, que definitivamente deixou no passado. “Hoje, sou muito mais livre com a minha sexualidade. Fiquei mais leve e me garanto! Não vou deixar de ser quem eu sou”, afirma ela, que ganhou charme extra depois dos filhos Lucas, de 19 anos, e Lorenzo, de 7. “Ser mãe é o que eu faço melhor na vida”, sorri. Ah, esse sorriso! É outra arma poderosa que Luciana tem e, acreditem, descobriu recentemente. “Na verdade, sou reservada, o que fazia com que algumas pessoas tivessem uma imagem errada ao meu respeito. Mas seguindo um conselho do meu assessor de imprensa Paulo (Vieira), de um ano para cá, sempre que falam comigo eu abro um sorriso. E quebra o gelo. Estou curtindo isso porque entendi que posso não conhecer todos, mas todos me conhecem”, conta. Esta é uma das atitudes que acompanham sua nova fase, que, por aqui, ela mostra de corpo (e que corpo!), alma e essência. Da supermãe a superstar, que ri de si mesma, não tem papas na língua e — autêntica como só ela — não está nem aí para os julgamentos alheios, duas palavras bastam: Luciana Rocks!

TOP: Incrível que, quando chega, já dá para ver de longe. Você rouba todas as atenções… Luciana Gimenez: Pois é, todo mundo diz isso. Falam que é o conjunto, o jeito que eu me mexo. Talvez seja porque sou muito alta (risos).

Sempre foi assim? Sempre. Quando era modelo, tinha que me esconder. Era muito sexy, então botava óculos porque despertava o ódio das meninas e a energia sexual nos meninos. Isso quando era nova. Se não fosse uma mulher muito bem resolvida para me receber nos castings, ficava com raiva e me colocava só naquele mood de sexy, mesmo já tendo feito foto de tudo quanto é jeito, até de santa. E os caras, com exceções, já vinham com aquela tendência de atração sexual. Então passei anos me escondendo atrás de uma personagem que não era eu. 

Agora não é mais assim, não é? Não. Hoje me garanto, e isso não me incomoda mais. Fiquei mais à vontade, mais livre com a minha sexualidade, que é normal, e não agressiva. E não tenho que me anular. Tem gente que fala: não vai de salto alto, mas eu gosto. Por que não posso usar minissaia e salto com 1,82 m? Posso. Me sinto bem mais confortável agora, a maturidade traz isso. E a maternidade também, já que você passa a não ter compromisso com nada, a não ser com seus filhos. 

As pessoas falam demais… Verdade. Não saio da toca, nunca começo nada, mas não gosto que me provoquem, que fiquem me cutucando. Fico bem nervosa, mas não rebato, não. Até porque sou tão sortuda que a pessoa se ferra sozinha. Só dou risada depois, mas dá vontade de mandar um bilhetinho, né? Posso te ajudar? (risos). 

O que te tira do sério? Mexer com os meus filhos é uma coisa que me deixa transtornada. Mas eu aprendi uma coisa com o Mick (Jagger), que é muito meu amigo. Quando fiquei grávida dele, me disse: não é porque as pessoas perguntam ou falam que você tem que responder. Realmente… Agora, ficar quieta não faz bem para mim. Vou me autodestruindo, tem vezes que não consigo parar de comer uns dez dias. Mas se precisar falar, eu falo mesmo. Não estou nem aí. Só não vou jamais sair do meu prumo para fazer mal a ninguém, até porque eu tenho mais o que fazer. Isso é uma coisa que não entendo: por que as pessoas, em vez de focarem nelas, ficam cuidando da vida dos outros e perdem o que têm de mais precioso, o tempo? A gente esquece disso. Você pode fazer uma plástica, levantar a bunda, retornar uma amizade ou um ex, mas o tempo é única coisa que não volta. Por isso, procuro emanar só coisas boas. Não sou de muito mi-mi-mi, de ficar beijando e abraçando, mas sou completamente do bem. 

Confira a matéria completa na edição 238 da TOP Magazine, e, abaixo, o nosso vídeo super especial com a Lu Gimenez

Foto: Miro
Vídeo: Jonathan Carvalho

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO