TOP Magazine

A Hora é Agora

Juliana Silveira volta a Fernando de Noronha após dez anos e se surpreende. Quer saber como? TOP conta...

POR Carla Ferraz 3 MIN

14 nov

3 Min

A Hora é Agora

POR Carla Ferraz

	

Passaram-se dez anos para Juliana Silveira voltar a Fernando de Noronha. Não por falta de vontade, mas por circunstâncias da vida. Mas vendo por outro lado, foi bom. A saudade era grande, e as surpresas, maiores ainda. “Consegui perceber as mudanças no sentido da sustentabilidade. Eles sempre foram pioneiros nisso e cuidam muito bem de Noronha, que já tem sua fama por esse motivo, é o nosso tesouro do mundo”, diz a atriz, que viajou a convite da TOP Magazine e Renault. Falando na montadora, ela aproveitou para comentar sobre os carros elétricos, que visam diminuir a emissão de gases poluentes na ilha, dentro do projeto #NoronheZE (Noronha Zero Emission), que torna Fernando de Noronha a primeira “ilha elétrica” do país. “Acho muito especial a ilha fazer esse tipo de ação no Brasil, acredito que logo será feito nas cidades. Eu conheci esse carro há dois anos em Portugal, todo Uber que chamávamos vinha o Zoe (carro elétrico da Renault), e as dúvidas eram constantes. Não me aguentava e perguntava aos motoristas, afinal as pessoas têm curiosidade de saber onde e como são recarregados. Aos poucos vamos percebendo que estamos mudando os nossos hábitos tanto no consumo, quanto no estilo de vida. Vai um tempo para isso, mas já estamos caminhando para um lugar mais interessante, onde as mudanças estão sendo efetivas.”

Dava pra ver que Juliana ficou realmente feliz em presenciar essas modificações, em especial, por entender que todo cuidado com a natureza é fundamental e indispensável. “É uma consciência coletiva, temos que repensar as coisas e há muito para fazer. O mais importante é estarmos falando sobre isso. Os meios de comunicação, os governantes e as marcas precisam ter uma postura aberta já que o poder está nas mãos dos consumidores, mas, ao mesmo tempo, da mídia. Devemos agir”, defende ela, que aproveitou a viagem para refletir. “Acredito que essa nova geração é mais consciente sobre tudo principalmente em relação ao meio ambiente. Vejo pelo meu filho, que questiona muito mais, seus amigos discutem, se interessam e são empoderados, é uma transformação. Eu, que nasci na década de 80, tenho que repensar e me reeducar mais do que essa galera. Eles já vieram com esse chip na consciência.”

Além disso, ela quis conhecer o Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio). Lá, conversou com João Rocha, novo chefe da entidade. “Sou um morador nativo que tem uma família nativa, meus filhos são nativos, todos nós prezamos pelo futuro da nossa comunidade, vamos mudar a ilha”, disse. Ele também explicou para a atriz como funcionam as ações e responsabilidades ambientais no Parque Nacional Marinho e Área de Proteção Ambiental (APA), já que cabe ao instituto fomentar e executar programas de pesquisas, preservação e conservação da biodiversidade, além de proteger e monitorar as áreas. “Foi maravilhoso bater um papo com o João. É ele que faz essa ponte inteligente, domina as questões da ilha. Sabe que têm muitas coisas a serem resolvidas e consegue encontrar soluções com paciência para educar através da conversa. Um trabalho feito de uma maneira belíssima” finaliza Juliana, que deve estrear duas séries: Matches, ao lado de João Baldasserini no Warner Channel e Cinema Café, no canal Cine Brasil TV.

 

243 TOP MAGAZINE CLAUDIA LEITTE
FOTO: ANGELO PASTORELLO
TEXTO: CARLA FERRRAS
STYLING: DAVID LORETI
BELEZA: ROGÉRIO MAGALHÃES

	

Veja as Fotos

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO