TOP Magazine

Elas são um luxo!

Bonitas, bacanas e bem relacionadas, Daniela e Gabriela Carvalho são donas do Peguei Bode, site que transforma o “Enjoei” em “Enjoy” e faz a alegria de quem ama coisas boas. Vem saber...

POR Simone Blanes 5 MIN

15 ago

5 Min

Elas são um luxo!

POR Simone Blanes

	

Há quem diga que arrumar o guarda-roupa e tirar de lá tudo que não queira ou não use mais por algum motivo, renova as energias. Uma sabedoria antiga, mas que se colocada em prática, faz todo sentido já que ao se livrar do que está ali parado, dá ânimo para muita gente ir em busca de algo novo. Foi neste contexto aliado à uma noite insone, que as irmãs Daniela e Gabriela Carvalho tiveram uma grande sacada: além de tirar do closet – que elas dividiam até Gabi se casar em abril deste ano – por que não capitalizar com isso? Pois bem, decidiram então colocar uma bolsa Chanel e um sapato Christian Louboutin à venda no Facebook. Ali, em uma madrugada de maio de 2011, nascia o “Peguei Bode”, um dos maiores sites de vendas de artigos de luxo do Brasil. Com foco em itens exclusivos, que vão de peças seminovas adquiridas com amigas e clientes até objetos de desejo tão raros que não se consegue nem em lojas oficiais e de alto luxo fashion ao redor do mundo ou em suas intermináveis listas de espera. “Fizemos um blog super caseiro, mas foi o suficiente para algumas pessoas ligarem pedindo ajuda para vender as bolsas paradas que tinham no armário. Corremos para registrar o nome que, na real, nem sabemos de onde saiu, mas é muito bom, né?”, lembra Daniela, que confessa: sim, sofre de insônia. “É nessa hora que tenho ideias”, sorri. Gabriela completa. “Sabe o que é mais engraçado? No começo, as clientes também compravam de madrugada. Como ainda não era um e-commerce, tinha que conversar com elas, então passamos várias noites acordadas.” Hoje, as vendas acontecem a qualquer hora. “Estou aqui com você e posso estar vendendo uma bolsa”, diz Daniela, que atualmente atribui a maior parte do êxito do negócio ao instagram. “Só entram no site para finalizar a compra”. Mesmo com toda essa tecnologia à disposição, porém, as irmãs não abrem mão do escritório físico na Av. Paulista, em São Paulo – no andar de cima da Rádio Jovem Pan, onde guardam toda a mercadoria e podem estar bem perto do pai, Tutinha Carvalho, presidente do grupo – e concordam que o sucesso do Peguei Bode vem mesmo do relacionamento diário com suas clientes, mulheres que vão de meninas de 18 até senhoras de 70 anos ou mais. “Falo com algumas todos os dias, mas não conheço pessoalmente”, diz Dani. Sem contar, é claro, a própria imagem das irmãs – Daniela é formada em comunicação e Gabriela, em administração de empresas, ambas pela FAAP – queridas pela clientela, que criou até um apelido carinhoso: as “bodetes”. “Nós fomos pioneiras em e-commerce e acredito que ajudamos as pessoas a derrubar o preconceito que tinham antes em vender peças ou comprar coisas usadas”, atesta Dani. Dessa forma, acabaram fazendo o “enjoei” de algumas virar o “enjoy” de outras. “Hoje, a moda é bem mais democrática e consciente. Em seis meses, as pessoas já pegam bode das coisas”, afirma Gabi. Um business que não tem a menor chance de dar zebra já que absolutamente tudo passa pelo crivo clínico das garotas que só aceitam produtos originais, com atestado de autenticidade, inclusive de blogueiras como Lala Rudge e Helena Bordon. Além dos produtos ficarem bem mais baratos, ainda, realizarem sonhos. “Teve gente que conseguiu comprar sua primeira Chanel lá, sabe? Ou peças de desfile, raras… Por isso, quando alguma cliente viaja, a gente reza para ela comprar muito e depois querer vender, às vezes, para cobrir o próprio cartão de crédito”, diverte-se Dani. “São muito consumistas”, ri Gabi, que relata casos bem inusitados tais como quando uma vende uma bolsa e depois a “encontra” sendo usada por uma amiga em um almoço. “Acontece, mas jamais revelamos a identidade de ninguém”, diz. “Teve uma cliente que vendeu a Hermes e a Birkin que ganhou do marido, e para ele não perceber, colocou duas réplicas no lugar”, gargalha Dani. Histórias curiosas das inseparáveis irmãs, que têm muitos interesses em comum como a paixão pela Chanel, o gosto pela tecnologia e a preferência pela música comercial “cantada” – não gostam de eletrônico. Também não bebem uma gota de álcool e sonham ter muitos filhos – Daniela está com casamento marcado para setembro. Mas acima de tudo, formam uma dupla extremamente visionária, que enxergou uma oportunidade de negócio tão legal que, esse sim, é impossível pegar bode.
Fotos: Raphael Briest

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO