TOP Magazine

Dupla Dinâmica

Eles fizeram a faísca do publipost virar um incêndio no mercado publicitário. Daí nasceu a Spark. Quer saber como? TOP Conta...

POR Simone Blanes 5 MIN

24 maio

5 Min

Dupla Dinâmica

POR Simone Blanes

	

Era 2013. Rafael Coca entrou na 9ine, badalada agência de marketing esportivo, para cobrir uma licença maternidade. Vindo de grandes corporações, ele não demorou muito para chamar a atenção de Raphael Pinho, que já ocupava um lugar de destaque na empresa liderada por Ronaldo Nazário e Marcus Buaiz, e se fixar por lá. Em pouco tempo, Pinho e Coca — dois publicitários com muita coisa em comum, em especial, a paixão pelo esporte — viraram uma dupla, e das boas. Não só profissional, mas em forma de uma amizade que logo começou a dar frutos, resultado de duas mentes criativas e estratégicas que passaram a pensar juntas. A faísca do que poderia ser um ótimo projeto, porém, veio no ano seguinte. Não pelo futebol, preferência de ambos, mas pelas mídias sociais, quando perceberam que existia uma lacuna no mercado: o marketing de influência. “Não se tratava de um grande contrato como uma campanha, mas o interesse de uma marca na audiência de uma celebridade ou influenciador em suas redes sociais. Fomos entender esse ambiente, que era algo amador, sem nenhum tipo de tecnologia ou visão estratégica”, diz Pinho. “Passamos a fazer essa intermediação e deixou de ser aquela coisa ‘quanto custa o post’. Nosso pulo do gato foi profissionalizar esse meio de campo”, completa Coca. Nasceu então a Spark, uma empresa de marketing digital que realiza a ativação de marcas por meio das redes sociais — Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat e blog — com personalidades digitais. “Inserimos as marcas através de ações específicas, criadas por nós a partir do nosso know-how e um software que desenvolvemos para buscar essas pessoas. Fazemos uma curadoria sobre qual o posicionamento da marca e a adequação do influenciador. O cliente tem uma assertividade muito grande e retorno imediato”, explica Pinho, que garante: tiram completamente o “achismo”. Não à toa, em menos de quatro anos, a Spark, que começou como uma “faísca” — daí o nome da empresa —, está literalmente incendiando o mercado publicitário, com mais de 500 projetos dos principais anunciantes brasileiros em seu portfólio. Sem contar que faz parte da Fluvip, grupo que engloba a maior rede de influencer marketing das Américas, e garante uma atuação internacional para o projeto de Coca e Pinho, que conta também com Buaiz como sócio. “Eu nunca tive uma veia empreendedora, mas o Marcus e o Ronaldo nos estimularam a buscar novos negócios. Quando vimos que tinha essa tendência de marcas investirem nas pessoas em seus canais próprios, e estava muito mal explorada, levamos a eles. E o bichinho do empreendedor me picou”, atesta Coca. “Enfrentamos muitos desafios, principalmente trocar o certo pelo duvidoso. Ouvi muita gente falando: ‘Mas você vai renunciar ao seu cargo na empresa para ir vender post’?”, sorri Pinho, que, na época, acabara de se tornar pai das gêmeas Luiza e Beatriz. Valeu a pena! O que começou com reuniões e rascunhos dos amigos em restaurantes atualmente conta com 40 funcionários e um mercado em franca expansão. Mas onde fica aquela enorme paixão pelo futebol, que sempre movimentou suas vidas e os fez buscar a publicidade, em que justamente tiveram seus caminhos cruzados? “Eu não jogo mais, só assisto hoje em dia”, gargalha Coca, que já garantiu sua ida à Copa da Rússia. “Sou bem engajado com a seleção.” Já Pinho continua jogando — “arrumei um futebol ao lado do trabalho” —, mas ambos tentam inserir na agência, sempre que podem. “Teve um job em que teríamos que trazer um jogador internacional para o Brasil. Aí é aquela coisa, ninguém rela, é dos sócios. Trouxemos o Samuel Eto’o, camaronês, jogador africano de maior destaque internacional. Foi tenso, era dia 21 de dezembro, e ele tinha 30 horas para passar no Brasil, mas foi quando colocamos todas as nossas paixões à prova. Um trabalho em que a gente deu a vida e todas as outras vidas por vir”, discursa Coca, enquanto exibe orgulhoso uma foto dos sócios ao lado do atleta. Falando em cases, outro especial que marcou a meteórica ascensão da Spark e provou a competência dos amigos à frente desse negócio foi da pomada Desitin, da Johnson & Johnson, em que colocaram as cantoras Sandy e Wanessa Camargo juntas nas redes. “O produto estava chegando no país e, olhando para esse mercado de influência, tinha uma coincidência de que as duas eram mães recentes, têm carreiras próximas, mas nunca tinham feito nada juntas. Aí criamos esse conceito ‘pela primeira vez no Brasil’. As pessoas ficaram ansiosas pelo que ia acontecer e até hoje, se colocar Sandy e Wanessa no Google, aparece essa ação”, conta Pinho. Tacadas certeiras de dois rapazes que souberam não só reconhecer as boas coincidências que os uniam — ambos se chamam Rafael, um com “f” outro com “ph”, são palmeirenses, apaixonados por futebol e excelentes publicitários —, mas também colocá-las em prática, tanto na vida real, em uma amizade que faria inveja a Batman e Robin, como no ambiente virtual, onde já viraram os “heróis” do publipost e seus muitos bons negócios — que já fizeram e que ainda estão por vir.

Fotos: Raphael Briest

Set Designer: Tissy Brauen

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO