TOP Magazine

Colírio da Internet

Aos 22 anos, Leo Picon é um dos mais queridos digital influencers da internet. Também é empreendedor, dono de vários negócios. Quer saber mais? TOP conta

POR Carla Ferraz 5 MIN

16 jul

5 Min

Colírio da Internet

POR Carla Ferraz

	

Leo Picon só tem 22 anos, mas é um exemplo de empreendedorismo. Conhecido entre os jovens pelas suas bombadas redes sociais – são 2,7 milhões de seguidores no Instagram e mais de 820 mil inscritos no YouTube –, ele é digital influencer, modelo, ator e
empresário, dono da marca de roupas Just Approve, da hamburgueria Luz Câmera Burguer, do bar balada Galleria e da produtora ROL Films. “Às vezes queria ter uma vida mais tranquila, mas, ao mesmo tempo, amo tocar os meus negócios”, diz ele, que faz questão de acompanhar tudo de perto. Toda essa responsabilidade, porém, não faz com que Leo deixe de vivenciar experiências típicas da idade. Gosta de estar entre amigos e, claro, passar um bom tempo na internet, algo que, além de fonte de renda, também vê como diversão. “Eu me sinto honrado por fazer parte da vida de muitas pessoas que acompanham meu dia a dia e consomem o conteúdo que produzo”, afirma. Mas de onde surgiu toda essa força com a meninada? Bom, tudo começou quando Leo tinha 13 anos e resolveu colocar algumas fotos suas no Orkut. Não demorou muito para que essas imagens circulassem em “comunidades” da rede social, que logo começaram a se interessar pelo garoto. Todo esse barulho chamou a atenção da revista Capricho, que o elegeu como um “Colírio”. Pronto! Dali para as presenças VIPs em matinês e virar o príncipe em festas de 15 anos foi um
pulo. “Uma vez colírio, sempre colírio”, diz brincando ao se referir à experiência.

Oportunidades que renderam um dinheiro extra a Leo, que, ao invés de gastar, resolveu investir em uma grife de roupas. “Gostava de customizar camisetas. Criei um símbolo com a mão que significava aprovado. Quando surgiu a ideia da marca, vi que se encaixava bem ali e veio o nome Just Approve”, conta ele, que no início tinha estoques em casa e dividia os lucros com três sócios. “As vendas tiveram um retorno muito positivo e muito cedo.” Logo depois vieram a produtora ROL Films e a hamburgueria. “Eles já eram meus sócios na produtora, e eu gostava muito de comer o hambúrguer antes de ir para a faculdade, então, eles fizeram o convite”, lembra Leo, praticamente formado em administração de empresas pela ESPM. “Faltam duas matérias”, sorri, agoniado. Já o invite para integrar o time de sócios do Galleria Bar veio pela popularidade nas mídias sociais e seu gosto pela vida noturna. E desconectar, nada? “Gosto de natureza e praia. É um ambiente que me desliga de tudo, por mais que eu sempre acabe tirando uma foto ou fazendo vídeos nessas viagens.” Dono de um humor bastante peculiar, assume que a câmera é uma de suas melhores amigas e, talvez, seja por isso que chame tanta a atenção. “Acho que o Brasil consome conteúdo ruim e não existe uma receita nas redes sociais. Tem muita gente fazendo sucesso com diferentes conteúdos, mas nem todos considero bons.” Falou e disse quem realmente entende desse assunto. Mas Picon alerta: é bom encontrar o equilíbrio, mesmo se tratando da internet. “É uma ferramenta que se bem utilizada facilita tudo, já faz parte do nosso cotidiano. Só que o ser humano é dependente químico, físico e social do smartphone, e isso é algo em que se tem que prestar atenção.” No mais, está tudo certo para Leo Picon. Por isso, ele diz nem pensar muito no futuro, prefere viver o presente, mesmo que seja boa parte conectado. “Não consigo me imaginar daqui a dez anos, mas quero seguir aonde eu for feliz. E trabalhando com meu público através da internet, eu sou. Me proporciona muita coisa boa, e nela eu consigo ver o lado humano dentro do digital pelas boas mensagens que recebo.”

Fotos: Rafael F. Barbosa

  • COMPARTILHE
VOLTAR AO TOPO